A nossa experiência no Rock in Rio

 

Dividir experiências é sempre o objetivo principal desse blog.
Saber o que nos espera em situações que pretendemos experimentar, facilita o planejamento e otimiza o tempo disponível para curtir o momento.

 

Fomos ao Rock in Rio em 2013. Sentimos falta de encontrar dicas de quem já participou desse mega evento. 

Por esse motivo, publicamos esse post (por sinal bem grande), para dividir a nossa experiência com aqueles que estarão presentes no ano 2015.

Esperamos que curta também.

 

O que vestir?

A principal recomendação é: use roupas confortáveis. Camisetas leves, da sua banda favorita, bermudas, leggins e tênis são as melhores peças pra usar durante qualquer festival, principalmente o Rock in Rio.

Vale levar um casaco ou moletom que não pese na bagagem, afinal a madrugada é fria, pois a Lagoa de Jacarepaguá é ao lado. Confira a previsão do tempo para levar capas de chuva (não é permitido levar guarda-chuvas ou sombrinhas).

Ainda com a intenção de se proteger do clima tropical do RJ, não se esqueça do protetor solar, óculos escuros, chapéus ou bonés.

 

O que fazer?

Além dos shows principais, vários shows paralelos são realizados em outros palcos menores no cenário do Rock in Rio.

 

Os patrocinadores do evento oferecem diversas formas de entretenimento como cabine de fotos, brindes diversos, lojas, intervenções visuais.

 

Em 2013, a principal atração foi a Tirolesa divulgando a marca Heineken, que descia bem frente ao palco e acima do público.

Todas essas atrações são gratuitas, porém as filas são quase sempre gigantescas.

 

Outras opções de passa tempo são os parques de diversões.

 

Onde comer?

É permitido entrar com comidas e bebidas na Cidade do Rock, mas em quantidade razoável para consumo próprio, o que lhe trará uma enorme economia de tempo e dinheiro, afinal as filas nas lanchonetes são imensas, o que pode fazer com que você perca o melhor momento de sua banda preferida. Não é permitido a entrada de bebidas alcoólicas.

Indicamos levar alimentos leves como biscoitos, pães, sucos, água, dentre outros em bolsas ou mochilas com trava. Saia de casa bem alimentado, o trânsito é bastante complicado e você pode perder tempo no trajeto.

É bom também levar sempre uma quantia de dinheiro reserva ou cartão de crédito, afinal a variedade de alimentos do tipo Fast-food é tentadora.

Não é permitido entrar com garrafas ou potes de vidro ou qualquer outro recipiente que possa apresentar risco à segurança.

 

 

O que levar?

É importante cuidar bem dos seus objetos pessoais. Providencie uma maneira de manter seus objetos próximos ao corpo, como pequenas bolsas de cintura que fiquem até mesmo embaixo de suas roupas.

Câmeras profissionais e semi-profissionais só podem ser usadas por pessoas com credenciais.

Então, prepare seu celular e sua câmera mais simples para que todos os momentos possam ser registrados e não fiquem apenas na sua memória. E não dê bobeira com esses equipamentos.

 

 

Como chegar?

Nossa principal dica é: Hospede em locais próximos à Cidade do Rock, garantindo um rápido deslocamento e se possível vá a pé.

O caótico trânsito do Rio de Janeiro consegue piorar durante este festival. Não indicamos de maneira alguma a utilização de automóvel próprio.

Se não conseguir hospedagem próxima do local, opte pelo transporte do próprio festival (Rock in Rio Card) para chegar ao evento com disposição. – Com o objetivo de diminuir o tráfego intenso de carros e de pessoas próximo ao local das apresentações, as ruas e rodovias de acesso aos portões do festival estarão bloqueadas para carros, táxis e vans, permitindo a passagem apenas das linhas autorizadas.

Programe seu horário de saída e confira no site os pontos de embarque dos ônibus do evento (Rock in Rio Card).

Os portões abrirão sempre às 13h e fecharão às 3h do dia seguinte. Geralmente, só tem fila para aqueles que chegam mais cedo.

O Festival acontece na Cidade do Rock:

 

E como foi o Rock in Rio 2013, para nós dois

Estávamos em Nova Friburgo/RJ na manhã do festival, partimos para Niterói onde deixamos o carro na residência de conhecidos. Partimos de Niterói/RJ utilizando transporte público sentido a Cidade do Rock. Ao todo, foram necessários o embarque em três ônibus públicos.

MORTOS. ACABADOS.

 

Para vocês terem ideia, saímos de Niterói às 16h pensando que o trajeto demoraria em média 2h (puura ilusão). É necessário sair de casa com muita antecedência… Principalmente em época de Rock in Rio, quando a cidade fica uma loucura total.

Desembarcamos do ônibus e percorremos 3 km a pé até a portaria da Cidade do Rock. Chegamos exatamente as 22h (pesAAAAAAado não?).

 

Nossa chegada foi ao som de Main in the box do Alice In Chains e conseguimos assistir a três músicas finais. Foi ótimo!

Apesar do cansado do deslocamento chegamos com uma pilha enorme para assistir o Metallica, que era nosso principal foco no festival.

No intervalo de show das duas bandas do palco principal saímos para fazer um lanche. Nos deparamos com filas e preços altos ( 1 copo de heineken era R$10, por exemplo). Em geral as opções de alimentação são os fast-food.

Após um breve descanso iniciou o show do Metallica que durou aproximadamente 2h40 com os maiores sucessos e clássicos da história da banda.

Sentiu a energia aí no vídeo? haha

 

Nossa sensação foi incrível, o evento é organizado com excelência. A sonorização do evento é fantástica, mas recomenda-se ficar em uma posição mais afastada do palco para ouvir com clareza sua banda preferida, até porque os telões em alta definição te garantem imagem perfeita.

Curtimos tudo o que pudemos – e mais um pouco!

O encerramento do evento se dá após um show de fogos sob a música tema do Rock in Rio.

 

O cansaço era tamanho após o término do festival, deitamos no gramado sintético e tiramos um cochilo (o guarda iniciou o toque de recolher interrompendo nosso sono sob a garoa da madrugada, que beleza!). A partir daí iniciamos o caminho de volta e foi mais uma luta, a fila para o embarque nos ônibus se dá por catracas e ficam congestionadas. O volume de ônibus até a rodoviária mais próxima é bom, mas por lá há bastante fila. 

 

 

E a pergunta que não cala, vale a pena ir no Rock in Rio?

Bom… caso a gente vá novamente, vamos seguir as nossas próprias dicas, sobre transporte e hospedagens, que concluímos e publicamos aqui nesse post. Mas ainda assim valeu a pena.

Nós ficamos mortos de cansaço. Dormimos no ônibus o tempo inteiro durante a volta. VALEU A PENA SIM, valeu muito!

 

 

Aproveitem muito!

Marcado com , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *